Guia Básico de Como Aprender Inglês em Casa

Guia básico de como aprender e praticar inglês em casa

Então você resolveu ceder à tentação (ou à pressão) e resolveu aprender inglês? Fez aquele cursinho na época do colégio e descobriu que não consegue entender nada da série que você só conseguiu baixar sem legenda? Vai tirar umas férias pelos “States” e está inseguro se consegue se virar por lá?

Tem muita coisa disponível, gente falando sobre esse assunto e é fácil achar listas das melhores maneiras de praticar inglês em casa: “Ouça música”, “Veja filmes sem legenda”, “Converse com outras pessoas”, “Pense em inglês”, e por aí vai. A pergunta que você pode ter dificuldade para responder é “COMO eu faço essas coisas todas?”. Pode acreditar, você vai levar um tempo até encontrar uma boa resposta. Sendo assim, resolvi começar esse blog e te ajudar com essa tarefa tão importante, mas tão pouco explorada. Vamos ao básico!

TENHA UM OBJETIVO.

Essa parte inicial é muito importante, pois é ela que vai definir o que você vai estudar. Ter um foco ajuda você a estabelecer metas realistas, de acordo com a sua experiência e disponibilidade. Então metas como “Quero melhorar minha escrita”, “Quero adquirir mais vocabulário relacionado ao meu trabalho”, “Quero fazer um curso online de gestão de uma faculdade dos Estados Unidos, mas tenho pouco tempo até lá”, “Quero aumentar meu vocabulário”.
Tente descobrir quais são as variáveis mais importantes para você: tempo, assunto, nível de dificuldade, etc. Se for mais de uma, comece pela mais importante. Uma que possa te ajudar a fazer a outra melhor e mais rápido, como por exemplo, um bom vocabulário pode ajudar você a compreender conversas com muito mais facilidade mais adiante.

 

SE VOCÊ PUDER PAGAR POR AULAS, PAGUE!

Não tem essa de não precisar de aulas. Em inglês, como em qualquer coisa que você queira aprender do zero, ter contato com um profissional acelera muito o seu aprendizado, principalmente no estágio inicial. Ele vai ter uma metodologia para te guiar pelo caminho mais coerente, tira dúvidas que você nem imagina que poderia ter e, caso você aproveite bastante o tempo que vocês têm juntos na aula, ainda dá pra pegar umas dicas e materiais específicos do seu interesse.

Aprender inglês parece ser fácil, afinal, pra onde quer que olhemos lá está o “shopping”, o “hair designer”, o “fast food”, o “selfie”. Já temos meio caminho andado… certo? Errado. Saber palavras isoladas e fora de contexto engana, poderia até dizer que atrapalha o seu aprendizado, porque pode fazer você pagar um mico de chegar em uma viagem e perguntar onde fica o “shopping” em vez do “mall”.

A vida não está fácil, eu sei… Os dias estão menores, a grana mais curta e não é todo mundo que tem condições de ter acesso a aulas. Se esse é o seu caso, é aí que entra a internet.

 

A INTERNET É GRANDE (ATÉ DEMAIS).

A internet é ótima. Com ela houve uma disseminação de conhecimento em um volume que enciclopédia Barsa nenhuma poderia encarar e em uma velocidade impensável há alguns anos. Os autodidatas foram à loucura!

Por outro lado, falta a curadoria, o caminho, a personalização. Tem essa pilha de informação aí e cabe a você sozinho separar o confiável do duvidoso, o básico do avançado, a regra da exceção, o essencial do opcional… O Google tem trabalhado bastante para diferenciar resultados de busca em que você pode confiar e o que faz parte da pilha de informação, mas ele está longe de ser apenas o que você precisa.

A internet é uma ótima ferramenta de aprendizado, mas tente usá-la como uma forma complementar de seguir sua meta, como mencionei acima. Pergunte para conhecidos da sua confiança qual eles consideram o melhor caminho ou mesmo “gurus” renomados e bem avaliados e sigam sua metodologia. Dessa forma você reduz bastante as chances de frustração e perda de tempo.

 

NADA VEM FÁCIL.

Quem falou que em uma semana você vai estar falando fluentemente está mentindo pra você. Simples assim. Aprender inglês nunca acaba, mesmo para quem fez aulas desde criança. A falta de prática e contato com a língua (não só do inglês mas de qualquer outra língua ou mesmo área de conhecimento), transforma o conteúdo que adquirimos em pó e faz com que aquelas notas 10 que tiramos nas provas de inglês tenham valido apenas para ganharmos um videogame no natal.

Você vai precisar praticar, correr atrás, tentar incluir inglês na sua rotina, encarar seus medos e pedir uma informação na rua para um estranho, ler artigos cada vez mais e mais desafiadores. Mas não se assuste! Se você se engajar bastante no início para que isso aconteça, o processo fica cada vez mais natural e menos cansativo.

Alimente a sua motivação retornando a um conteúdo em que você sentiu muita dificuldade de compreender e veja a evolução ao longo do tempo. E de novo. E de novo…

 

REPITA, REPITA, REPITA!

Aprenda com as crianças! Grande parte do seu aprendizado é fruto de repetição e observação. Elas assistem aos mesmos desenhos milhares de vezes, decoram todas a músicas, repetem as mesmas brincadeiras e nos pedem para contar as mesmas histórias. Seu repertório é mais reduzido mas é consumido à exaustão. Elas sugam tudo o que elas podem até não sobrar nada e aí sim seguem em frente.

Reduza seu repertório, concentre-se em realmente absorver aquilo que está sendo visto. Isso não é uma corrida e sim um aprendizado, a compreensão de uma cultura. A língua é reflexo de uma história que é totalmente diferente da nossa e é por isso que traduzir ao pé da letra não vai funcionar em muitos momentos.

 

DIVIRTA-SE

Isso torna tudo sempre muito mais fácil. Aproveite esse tempo de estudo para juntar informação e diversão. Escolha um filme que você ama, uma música que toca no rádio todo dia e que você nunca se deu ao trabalho de saber do que se trata (mas talvez seja a última vez que diga abertamente que você gosta dela…), leia embalagens dos produtos, traduza um conteúdo em português que você goste, grave sua própria voz cantando e ria da sua inabilidade (e vá gravando até a sua pronúncia ficar incrível… e então volte para o primeiro e ria mais!). O céu é o limite!

 

“LEGAL! QUERO COMEÇAR!”

E eu vou te ajudar. Esse blog foi criado para tentar ajudar a organizar essa abundância de informação. Aqui o conteúdo vai ser selecionado, separado por níveis de dificuldade, com coisas legais e que realmente trazem informação relevante para quem quer aprender.

Para isso, eu gostaria de saber a sua resposta para a seguinte pergunta: “Quais são os desafios de estudar e praticar inglês sozinho?”. Se tiver cerca de 7 minutinhos para me responder, clique aqui e com certeza a sua resposta será muito importante para tornar o conteúdo cada vez mais feito para você! =)

Então comece fazendo seu dever de casa, estabelecendo metas, avaliando seu nível, abrindo a cabeça e arregaçando as mangas!

Ah, e lembre-se de se inscrever para receber e-mails com as novidades do Langoo… esse passo é muito importante \o/

 

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s